Teste do coraçãozinho: mais segurança para o bebê
 
Notícia postada em 23/01/2014
Teste do coraçãozinho: mais segurança para o bebê
Cristiano Siqueira
da Redação do São Lourenço Jornal
Imprimir  
 Créditos da Foto: H.F.C.C.S.L 
A Maternidade do Hospital São Lourenço - sempre em sintonia com os mais modernos procedimentos assistenciais - oferece, desde outubro passado, um novo serviço: o teste do coraçãozinho, recomendado pela Sociedade Brasileira de Pediatria. Trata-se de um teste simples, indolor e capaz de diagnosticar possíveis doenças cardíacas em recém-nascidos nas primeiras 48 horas de vida.

De acordo com o pediatra Rubens Almeida Ayres, responsável pela implantação do teste no Hospital, um ou dois em cada mil neonatos manifestam tais cardiopatias, que podem levar a óbito se não tratadas a tempo e de forma adequada. “Recém-nascidos apresentam poucas manifestações clínicas nesse período da vida. Assim, se possuírem complicações mais sérias no coração, estas podem ser detectadas pelo teste”, explica. A realização do procedimento não descarta o exame físico detalhado antes da alta.

Segundo as enfermeiras Ana Maria Junqueira e Gislene Nogueira, responsáveis pela Maternidade, o teste consiste na aferição da oximetria de pulso (mede a saturação de oxigênio no sangue), através da colocação de um sensor no membro superior (mão) direito e em um dos membros inferiores (pé) do bebê, acomodado em uma incubadora aquecida. Se a oximetria for menor que 95% em qualquer dos membros ou a diferença entre o membro superior direito e outro qualquer for maior que 3%, deve-se suspeitar da patologia. Nestes casos, o pediatra responsável pelo bebê no Hospital solicitará um ecocardiograma, exame que confirmará ou não a cardiopatia. “Achei o teste muito bom, porque com ele é possível tomar providências logo depois que o bebê nasce”, afirmou Cristiane Aparecida de Castro, mãe do bebê que aparece nesta matéria (foto acima) - que felizmente, teve resultado normal no teste.



Outras Fotos